Dalvânia Cardoso baseia Plano de Governo em 11 pilares

55

Documento será construído com a participação popular, sendo ouvidas todas as comunidades

Içara

Dalvânia Cardoso, candidata a prefeita de Içara do PP, desde que perdeu as eleições de 2016, começou a percorrer o município passando por todas as comunidades ouvindo as principais lideranças sobre as necessidades e prioridades para poder basear o plano de governo em cima das prioridades elencadas. Em cima deste estudo, a equipe está construindo o documento, baseado em três eixos temáticos e em 11 pilares, que são gestão fiscal, transparência, enxugamento da máquina pública e desburocratização; desenvolvimento econômico; agricultura e agronegócios; turismo, sustentabilidade e meio ambiente; infraestrutura; mobilidade na área urbana e rural; assistência social e direitos humanos; educação; esporte, cultura e lazer; saúde; e segurança pública e comunitária.

A candidata explica que é preciso esclarecer que Plano de Governo é o instrumento inicial utilizado para, a partir dele, elaborar o planejamento estratégico, tático e operacional, que na administração pública se denominam respectivamente PPA, LDO e LOA. “Tenho boa parte dele com base no de 2016, em que percebi muitas necessidades. Mas, com o apoio do Instituto Brasileiro do Conservadorismo (Ibcon), que está nos dando suporte, a ideia é linkar as propostas ao projetos e programas federais, por exemplo, que possuem recursos disponíveis. Além disso, resolvemos ouvir as comunidades ao longo da campanha. Eu e o Jandir Sorato, vamos passar presencialmente nos bairros, nas casas, nas portas de fábrica, a exemplo do que já fiz em 2016, vamos ouvir e construir propostas específicas com a participação popular para cada comunidade. Vamos testar inicialmente, por lives, ao final de cada roteiro de visitas de bairro na rua, por causa da pandemia. Traçamos três eixos temáticos: saúde, educação e desenvolvimento econômico e os dividimos em 11 pilares para discutirmos diretamente com as comunidades”, relata.

Saúde

Para ela, um bom planejamento estratégico precisa de uma boa reforma administrativa para otimizar pessoas, processos e resultados, com transparência total nas despesas, que permitirão remodelar a saúde, especialmente de urgência e emergência, com a descentralização do atendimento para as regiões do Presidente Vargas e Vila Nova até 22h. “Não é mais possível, com 60 mil habitantes, depois das 16h termos uma única porta aberta para atender as pessoas na saúde, já propus isso em 2016. Também é necessário revisar e atualizar toda essas filas do Sisreg de consultas de especialistas, exames de alto custo e cirurgias. Há pessoas aguardando há anos”, destaca a candidata.

Ainda na saúde, as propostas giram em torno da qualidade de vida da população como a promoção e prevenção com foco em alta e média complexidade; saúde do idoso, da criança e da mulher; proteção e bem-estar animal e controle de zoonoses; e transparência, anticorrupção, gestão financeira e orçamentária, além da inovação, uso da tecnologia e qualificação da equipe.

Prioridades da educação

Outra área que terá uma atenção especial da administração de Dalvânia Cardoso, em caso de sair vencedora das urnas no dia 15 de novembro, é a educação. Segundo a candidata, a questão da educação infantil em tempo integral é necessidade para as mães trabalhadoras. “Precisamos ampliar o número de vagas. O problema não está na qualidade e sim na quantidade da oferta de vagas.  Nossos professores são bons, e, isso reflete na qualidade”, pontua. Ela aponta que se observar a maioria das estruturas físicas na educação infantil, elas continuam as mesmas de 15, 20 a até 30 anos atrás, sendo que os bairros cresceram muito. “Veja Vila Nova, Raichaski, Cristo Rei, Presidente Vargas, por exemplo’, exemplifica.

Para ela, é necessário capacitar a mão de obra, com a oferta de cursos técnicos e profissionalizantes como meta para iniciar também no primeiro ano, aproveitando as estruturas já disponíveis e adequadas que tem na cidade para instalação de Centro Profissionalizante. O plano ainda traz que é preciso foco na qualidade do processo ensino aprendizagem e na valorização do magistério; projeto piloto para educação em tempo integral; ampliação da oferta de vagas na educação infantil; e implantação do ensino da língua inglesa, educação financeira e empreendedorismo nas series iniciais.

Recuperação de conteúdo

Devido a pandemia do novo coronavírus, a educação teve o ano letivo prejudicado e para recuperar o conteúdo. Dalvânia aponta que serão ouvidos técnicos e profissionais da educação da rede. “Não sei, se dois professores, ou contra turno, ou reforço específico ou alteração de carga horária. Sabemos que é necessário recuperar conteúdo, mas é necessário ouvir a rede sobre o que é mais adequado. Talvez até um projeto mais amplo, que contemple inclusive a criança estudante da rede estadual, caso esta não o faça. Essa decisão é como a de um médico sobre como recuperar o paciente. É técnica. O que precisaremos é otimizar recursos para investir bem”, projeta.

Com relação ao desenvolvimento econômico, o foco é no potencial da cidade dos modais, BR-101, ferrovia e rodovias, as quais facilitam a instalação e ampliação de empresas, para geração de emprego e renda.

Segundo ela, nada de promessas mirabolantes. O foco é anticorrupção, nada que aumente taxas ou impostos, nada que mexa no bolso do trabalhador ou do empreendedor. “É mudança. Um novo time, um novo projeto para Içara”, conclui.