Encontro na Amrec define rumos da Educação na região

11

Ontem (30), o encontro foi com a Fecam e a Undime, que discutiram o retorno das aulas presenciais

Criciúma

O encontro marcado para hoje com o Colegiado de Educação da Amrec definirá a possibilidade de retorno das aulas presenciais nos municípios da região carbonífera. Ontem (30) ocorreu uma reunião com a Federação dos Municípios Catarinenses (Fecam) e com a União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), que discutiram as estratégias a serem tomadas para o retorno das aulas. “Pelo cronograma a ser seguido, dificilmente as aulas nos municípios retornam neste ano”, projeta a secretária de Educação de Cocal do Sul e presidente do Colegiado de Educação da Amrec, Ana Paula Cechinel.

Ana Paula explica que para a volta das aulas, os municípios terão que estar com os planos de contingência pronto e que esta discussão ainda não foi feita. Segundo ela, na semana do dia 13 de outubro está prevista a formação do comitê municipal para o retorno as aulas e na semana de 19 a 23 de outubro a formação será com as comissões escolares. “Desta forma, a expectativa é de que as aulas presenciais voltam somente em 2021”, pontua a presidente do colegiado.

A secretária de Cocal do Sul ainda coloca que para que haja o retorno das aulas, a liberação terá que partir da Secretaria de Saúde através da evolução do mapa de risco. Segundo ela, mesmo com a evolução para a cor laranja, ainda não será possível a liberação, pois pelo protocolo do Estado, as aulas somente voltarão de forma segura quando o mapa de risco estiver na cor azul.

Segundo a presidente do colegiado da Amrec, o encontro de hoje servirá para os municípios discutirem as orientações repassadas no encontro de ontem com a Fecam e a Undime e ainda dar os encaminhamentos para a construção dos planos de contingências nos municípios. Ana Paula explica que os municípios também terão que cumprirem as 800 horas aulas para ter o ano letivo validado e para isso que que fazer a reposição dos dias em que ficaram parados durante a pandemia nos meses de março e abril.

A secretária listou que de 19 de março a 25 de março, os dias parados tiveram a compensação pela antecipação do recesso escolar do mês de julho e que dos dias 26 de março até o dia 26 de março até do dia 26 de abril, será necessário fazer a reposição e que para isso, o término do ano previsto para o dia 11 de dezembro deverá seguir até s dias 18 ou 21 de dezembro, dependendo do cronograma dos municípios.