Tigre tem ano para apagar da história

13

Equipe foi mal no Campeonato Catarinense, eliminada na terceira fase da Copa do Brasil e rebaixada à Série C do Campeonato Brasileiro

O Criciúma teve um ano de 2019 para ser esquecido pelo torcedor. O Tigre começou perdendo nas semifinais do Campeonato Catarinense, que não vence desde 2013, foi eliminado na Copa do Brasil na terceira fase e ficou na penúltima posição do Campeonato Brasileiro da Série B, sendo rebaixado para a terceira divisão do futebol nacional. Em nenhuma das competições a equipe mostrou um futebol que agradasse o torcedor.

O Campeonato Catarinense começou com o comando do técnico Doriva, que planejou o ano e realizou as contratações, mas a equipe não passou das semifinais ao ser eliminado pelo Avaí. Mas não foi o desempenho no Catarinense que derrubou o técnico Doriva e sim as más apresentações, principalmente nos jogos dentro do Estádio Heriberto Hülse, que não convenciam a direção e a torcida.

Na tentativa de mudar a qualidade técnica para o Campeonato Brasileiro da Série B, a direção resolveu demitir o técnico Doriva e contratar o técnico Gilson Kleina, que realizou mais algumas contratações para qualificar o grupo para a competição nacional. A estreia na Série B foi decepcionante, com o Criciúma sendo derrotado pelo Cuiabá.

Neste período, antes da parada para a Copa América, o Criciúma ainda foi eliminada da Copa do Brasil pela Chapecoense, deixando o torcedor ainda mais triste com o fraco futebol apresentado. Lembrando que o time de Chapecó foi rebaixado da Série A para a Série B do Campeonato Brasileiro.

No Campeonato Brasileiro, o Criciúma nunca conseguiu um bom desempenho, e sempre ficou na parte debaixo da tabela, brigando para não ficar na zona da degola. Com 14 jogos disputados e somando apenas 13 pontos, na zona do rebaixamento, a direção anunciou a demissão de Gilson Kleina, ficando o ex-zagueiro Wilsão comandando o grupo de forma interina.

Novo técnico

Na tentativa de melhorar o desempenho do Criciúma, a direção contratou o técnico Waguinho Dias, que ficou no comando por cinco jogos sem conseguir nenhuma vitória e ser demitido. A última cartada da direção foi em Roberto Cavalo, que chegou vencendo na estreia o Botafogo de Ribeirão Preto por 2 a 0, e dando esperanças ao torcedor que a má fase iria mudar.

Porém, o treinador não conseguiu manter o bom momento da estreia e continuou amargando a zona de rebaixamento. Sem conseguir vencer os jogos considerados fundamentais em casa, a equipe teve o rebaixamento decretado ao empatar em casa diante do Paraná, por 1 a 1, chegando à última rodada de chances de permanência na Série B.

Na avaliação do técnico Roberto Cavalo, que foi mantido para a próxima temporada, o rebaixamento do Criciúma foi em consequência de uma série de erros cometidos desde o começo do ano com técnico Doriva. A expectativa do torcedor é uma reviravolta em 2020 e novamente a equipe subir de divisão no Brasileiro.