Com perda estimada de R$ 500 milhões, setor de eventos faz mobilização

24

Em Criciúma, casas de shows estão sem atividades desde o começo da pandemia do novo coronavírus

Criciúma

O setor de eventos da região Sul de Santa Catarina fará uma nova manifestação hoje, a partir das 16 horas, no Parque das Nações, em Criciúma. Os empresários do setor cobram a liberação da realização de shows com cobrança de ingressos. O último decreto do Governo do Estado, liberando parcialmente a volta de algumas atividades, não contemplou o setor, que depende da realização de shows e da movimentação das casas noturnas para a sobrevivência. “Parece que se pega a Covid-19 no ingresso, pois os outros eventos voltaram e nós ainda não estamos autorizados a voltar aos trabalhos”, destaca o organizador da manifestação, Hemerson Machado, que é empresário do setor.

Machado avalia que mais de 30% das pessoas que trabalhavam com o setor de eventos não voltam mais as atividades, como músicos, seguranças e promotores, pois já buscaram alternativas para conseguir sobreviver. Ele cita o exemplo da AM Master Halls, que está há quase seis meses sem promover nenhum show ou formatura, mas que tem que pagar as contas para a manutenção da casa. “A AM é um grande exemplo do que está acontecendo com as pessoas que dependem dos eventos para sobreviver”, explica o empresário.

Segundo ele, a mobilização vai reunir as pessoas no parque em frente ao Criciúma Shopping. A ideia é fazer uma passeata até o Centro da cidade. “Tudo vai depender do número de pessoas que comparecer, pois não queremos atrapalhar a mobilidade da cidade e nem atrapalhar o trânsito, apenas queremos mostrar que gostaríamos de voltar a trabalhar e poder realizar os eventos”, pontua.

Segundo o empresário, a fiscalização fechou o cerco com as casas noturna, mas não está conseguindo coibir a realização de shows e festas clandestinas, onde todo mundo frequenta sem usar máscaras e sem os cuidados sanitários recomendados. “Será que nestas festas não se pega a Covid-19. O ser humano precisa de diversão e quando ele não consegue de forma legal, acaba indo nestes locais para se divertir”, relata.

Volta aos estádios

Outra mobilização que tem sido feita é a volta da torcida aos estádios de futebol. No Rio de Janeiro, a prefeitura quer liberar a presença de público nos estádios no mês de outubro. Já a torcida Guerrilha Jovem do Criciúma Esporte Clube entrou com ação na justiça para que integrantes do grupo tenham acesso aos jogos. Segundo eles, não precisa liberar a presença de todos ao mesmo tempo, mas sim um número determinado de torcedores, que possam se revezar nos jogos realizados no Estádio Heriberto Hülse.