Criciúma passa dos quatro mil casos do novo coronavírus

35

Município também registrou cinco óbitos nos últimos dois dias e chegou a 53 mortes pela doença

Criciúma

A Região Carbonífera continua como gravíssimo no mapa de risco do Estado. E os números confirmam que a região está no pico da pandemia. O município de Criciúma, considerada a cidade polo da região, ontem (17) passou dos quatro mil casos do novo coronavírus. No boletim epidemiológico, a cidade contabiliza 4.153. Somente nas últimas 24 horas, foram mais 123 novos pacientes diagnosticado com a doença. Nos dois últimos dias, o município também registrou mais cinco óbitos, chegando a 53 no total.

O boletim aponta que 1.759 pacientes estão curados e o dia ontem terminou com 109 pacientes hospitalizados, sendo 59 nas alas clínicas e mais 50 nas unidades de tratamento intensivo (UTIs). Até o momento foram realizadas 23.092 coletas de amostra para análise de COVID-19 em Criciúma.

Somente ontem, a Vigilância Epidemiológica recebeu a confirmação, por meio de exames laboratoriais, de mais três mortes pela Covid-19. Uma vítima era de um paciente suspeito, que veio a óbito no domingo (16). Trata-se de uma mulher de 75 anos, com comorbidades, residente no município e que estava internada em cidade vizinha.

Outro óbito foi de paciente residente no município, ocorrido ontem (17). Trata-se de uma mulher, de 88 anos, com comorbidades, que estava internada em leito clínico desde o dia 11 de agosto. Também foi confirmada a morte de uma mulher, de 69 anos, com comorbidades, que estava internada em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde o dia 10 de agosto.

Os outros óbitos, foram no domingo. O primeiro trata-se de um homem, de 69 anos, com comorbidades. Também foi confirmada a morte de e um homem, de 61 anos, com comorbidades, que estava internado em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde o dia 7 de agosto.

Sétima morte em Içara

Içara registrou a sétima morte por coronavírus ontem (17). Trata-se de uma mulher de 53 anos, que faleceu no sábado, com comorbidades, moradora do bairro Cristo Rei, que estava internada em outra cidade.