Acordo para implantação do serviço aeromédico é assinado

9

Serviço será prestado na Mesorregião Sul Catarinense para atendimento pré-hospitalar em ocorrências de maior gravidade

Criciúma

Foi assinado na manhã de ontem (13) acordo de cooperação técnica com a Polícia Civil – Serviço Aeropolicial (Saer) e com o Consórcio Intermunicipal Multifinalitário da Amrec (CIM-Amrec) para a implantação do Serviço Aeromédico (Sarasul) no Município de Criciúma. O projeto de lei de autoria do Executivo que autorizava a celebração do acordo havia ido à Plenário do Legislativo de Criciúma na última semana, aprovado por unanimidade pelos parlamentares.

O acordo tem por objeto a cooperação entre as partes, para complementar o Serviço Aeropolicial (Saer) prestado na Mesorregião Sul Catarinense com o Serviço Aeromédico, como forma de viabilizar o atendimento pré-hospitalar em ocorrências de maior gravidade, e em ações relacionadas ao resgate em atendimento pré-hospitalar e transferências inter-hospitalares.

O serviço traz a viabilidade de socorro em atendimentos primários de saúde para mais de um milhão de pessoas nas regiões da Amrec, Amesc e Amurel. “Agora a etapa é a licitação. É um momento importante, momento histórico. Todos os municípios vão trazer o serviço aeromédico para nossa região e, que irá atender os municípios da Amrec, Amesc e Amurel, atendendo aproximadamente 50 municípios, o que soma um milhão de pessoas. Vamos lograr êxito com essa iniciativa, assim salvando muitas vidas”, afirmou o presidente da Casa, vereador Tita Belloli, que participou do ato, juntamente com o prefeito Clesio Salvaro, o prefeito de Siderópolis, Helio Cesa, e o prefeito de Cocal do Sul, que é presidente da Amrec, Ademir Magagnin.

Depois de implantado, o aeromédico vai atender ocorrências registradas dos municípios de Passo de Torres a Imbituba. O Saer (Serviço Aeropolicial) da Polícia Civil chegou ao sul catarinense em novembro de 2016 para atuar em questões plenas de segurança e situações emergenciais de saúde. Agora, o objetivo da proposta é que a aeronave contribua de forma mais direta em questões de atendimentos primários.