Última chance antes da parada

6

Criciúma encara o Brasil de Pelotas, fora de casa, nesta terça-feira, precisando da vitória para não ficar mais de um mês na zona de rebaixamento

O empate contra o Vila Nova, no último sábado, não estava nos planos do Criciúma. Mesmo sem jogar bem, o Tigre vencia o adversário, com um gol de Léo Gamalho aos 30 minutos do segundo tempo. Mas a vantagem durou só três minutos, quando Juninho deixou tudo igual. No placar e na tabela.

Com o resultado, o Criciúma permanece na zona de rebaixamento. E caso não vença na noite desta terça-feira, irá permanecer lá por mais de um mês. Isso porque o jogo com o Brasil de Pelotas é o último do tricolor carvoeiro antes da parada par a Copa América.

“É uma fase que tem de passar. Iríamos fazer uma vitória que nesse momento é importante. Continuar trabalhando. Vocês sabem que eu não desisto jamais. Fazer de tudo para que o resultado aconteça na terça-feira para depois pensar melhor na parada da Copa América. Dessa maneira, não iremos atingir o que queremos”, afirmou o técnico Gilson Kleina após o jogo.

A última chance antes da parada, será em terras gaúchas. A partida contra o Brasil de Pelotas está marcada para às 19h15, no estádio Bento Freitas, em Pelotas.

Se vencer, o Tigre deixa a zona de rebaixamento. Caso contrário, ficará entre os quatro últimos até o retorno, no dia 13 de julho.

Mais uma lesão

Desde o início da Série B, o Criciúma tem sofrido com lesões. Apenas para o jogo com o Vila Nova, o técnico Gilson Kleina não pôde contar com o goleiro Paulo Gianezini, com o zagueiro Sandro, e com o lateral-direito Maicon. E mais uma, o Tigre irá a campo desfalcado.

Desta vez, quem ficará fora é o zagueiro Léo Santos. O jogador teve uma entorse no joelho, na partida de sábado, e nem viajou com o grupo. Para o lugar dele, Kleina pode, mais uma vez, improvisar o volante Liel (alteração que ele fez contra o Vila Nova), ou apostar no uruguaio Federico Platero, jogador da função.

“O momento é de instabilidade nos resultados. O time sem a confiança de jogar, joga sob pressão, mas temos que reverter essa situação e voltar com os três pontos antes da parada para a Copa América. Não estamos conseguindo em casa, então temos que buscar fora”, disse Léo Gamalho, artilheiro do Tigre na competição.

Dois dias de preparação

O Criciúma não teve nem tempo de digerir o resultado de sábado. No dia seguinte, a equipe já se reapresentou, realizou uma atividade no Centro de Treinamento, e viajou para o Rio Grande do Sul.

No domingo pela manhã, os atletas que atuaram por mais tempo contra o Vila Nova fizeram um treino de recuperação e o restante do grupo participou de um treinamento físico e técnico no gramado. Na segunda, ocorreu a última atividade antes da partida, no campo da PUC-RS, em Porto Alegre.

Com o desfalque de Léo Santos, a base do Criciúma deve ser a mesma de sábado, com Luiz; Marcos Vinicius, Liel (Platero), Derlan e Marlon; Adilson Goiano, Wesley, Eduardo e Daniel Costa; Vinicius e Léo Gamalho.