Para Maicon, Tigre segue como candidato ao acesso

33

Experiente lateral-direito garante que nenhuma das equipes está muito acima na competição

Maicon Sisenando não precisa provar nada a ninguém. Participou de duas Copas do Mundo, conquistou, entre muitos títulos, a Liga dos Campeões, vestiu camisas de gigantes como Inter de Milão, Roma e Manchester City, e foi escolhido o melhor defensor da Europa. Com 37 anos, poderia pendurar as chuteiras e aproveitar a aposentadoria. Mas preferiu voltar ao clube onde começou, para levá-lo para a Série A.

De volta ao Tigre, quase 20 anos depois, o lateral-direito mostrou que apesar da idade, pode ajudar o clube. Porém, devido ao desgaste, ele tem sido poupado nos jogos mais longe, para que se resguarde fisicamente. Com um currículo desses, muitos poderiam ter vaidade e exigir um lugar no time titular. Mas ele concordou com a comissão técnica.

                “Já conversamos desde que ele (Gilson Kleina, treinador) chegou. Temos uma conversa bem aberta, sem esconder nada de ninguém. Todo mundo sabe da minha idade. Com certeza se eu fosse para Goiânia, na sexta, não ia ter condições de jogar na terça-feira, porque foi uma viagem cansativa. Os mais jovens sentiram, então imagina o velhinho aqui. Eu sempre vou querer ficar à disposição. Mas se for importante para mim ficar treinando e recuperando para estar bem fisicamente para os jogos dentro de casa, vou fazer, porque a gente tem que pensar é no Criciúma”, afirmou.

Time buscando identidade

Acostumado a jogar com alguns dos melhores jogadores do mundo, Maicon garante que o Criciúma tem condições de buscar o acesso. Principalmente pelo fato da Série B não ter nenhum time que se destaque tecnicamente.

“Temos uma mescla de jogadores experientes com jogadores mais jovens. Estamos criando uma identidade que o professor Kleina está tentando implantar no nosso grupo. E a gente vê pelos trabalhos que realizamos, que a gente tem condições de chegar, até porque não tem uma equipe muito acima nesta Série B. As equipes são muito niveladas. Temos qualidade para chegar, mas a gente sabe que a cada jogo, temos que estudar o adversário, porque não vai ser fácil. Vimos times que começaram bem nas primeiras rodadas e começam a perder pontos dentro de casa, e não podemos deixar isso acontecer”, destaca.

Disputando a primeira Série B, Maicon fez uma análise sobre o campeonato. “É uma competição de muito mais pegada do que técnica. São poucas equipes que tem um jogador que pode decidir uma partida a qualquer momento. Então é mais determinação das equipes para conseguir os objetivos. E é isso que não pode faltar na gente. A gente vê que todo se empenha, todo mundo se dedica nos treinamentos. Vontade e determinação não pode faltar nos nossos atletas”, garantiu.

Projeção de pontos

O Tigre ainda tem três partidas antes da pausa para a Copa América. Além do Botafogo-SP, no sábado, o Criciúma terá o Vila Nova (no dia 8 de junho, em casa), e o Brasil de Pelotas (fora, no dia 11). E o experiente jogador foi categórico na projeção de pontos que fez para esses confrontos.

“Meta de pontos é nove. A gente tem que buscar os resultados para quando ter essa parada da Copa América, estarmos perto dos times lá em cima na tabela. Então esse é o objetivo. Tem que pensar jogo a jogo. Temos um confronto fora de casa, com equipe difícil, que é o botafogo, que nas primeiras rodadas começou fazendo grandes partidas e depois, pegou o Vila Nova que não vinha bem e perdeu. Vamos estudar bem a equipe do Botafogo para chegar lá e buscar pontos. Mesmo fora de casa temos que buscar o nosso futebol”, completou.