Racli repudia violência contra trabalhadores da coleta de lixo

54

Caso aconteceu na manhã de ontem, no bairro Demboski, em Içara

Içara

A Racli Limpeza Urbana, responsável pela coleta de lixo em Içara, divulgou uma nota de repúdio após quatro trabalhadores da empresa serem alvos de violência e racismo ontem (30) pela manhã. O caso aconteceu por volta das 8h40, no bairro Demboski, quando um homem furou o pneu do caminhão de lixo com uma faca.

Em nota, a Racli pediu que o caso seja apurado pela polícia e o agressor punido. “A empresa repudia qualquer tipo de preconceito e é inadmissível que nos dias de hoje ainda continuemos a testemunhar esse tipo de violência, pois a Racli Limpeza Urbana acolhe a todas as pessoas sem distinção”, disse a empresa em nota encaminhada à imprensa.

Segundo a Polícia Militar, os trabalhadores se recusaram a realizar a coleta de um saco contendo dejetos de cachorro. Segundo relatos dos trabalhadores, o saco estaria rasgado e sem condições de ser transportado até o caminhão. Diante da recusa, o morador se irritou. Em vídeo feito pelos trabalhadores, o morador saiu do seu terreno e furou o pneu dianteiro do caminhão de lixo.

“A empresa fica totalmente à disposição, através da direção e do seu departamento jurídico, para acompanhar as investigações, no aguardo de que os crimes praticados contra os colaboradores sejam apurados e punidos”, reiterou na nota a Racli.

Nota de repúdio RACLI Limpeza Urbana

“Em razão dos atos de violência registrados na manhã desta segunda-feira, 30, contra os nossos trabalhadores enquanto realizavam a coleta de lixo no bairro Demboski, em Içara, a RACLI Limpeza Urbana lamenta profundamente os fatos ocorridos, seja pela violência física, psicológica, mas, principalmente pela violência racial praticada contra os seus colaboradores.

A empresa repudia qualquer tipo de preconceito e é inadmissível que nos dias de hoje ainda continuemos a testemunhar esse tipo de violência, pois a RACLI Limpeza Urbana acolhe a todas as pessoas sem distinção.

A empresa fica totalmente à disposição, através da direção e do seu departamento jurídico, para acompanhar as investigações, no aguardo de que os crimes praticados contra os colaboradores sejam apurados e punidos”.