Aumento de incêndios em vegetação subiu 66% na região Sul

8

Nos 280 dias deste ano, os bombeiros militares registraram entre Urussanga e Passo de Torres 1.188 incêndios

Criciúma e Região

Nos 280 dias deste ano, o 4º Batalhão de Bombeiros Militar (4º BBM) registrou nas cidades entre Urussanga e Passo de Torres, 1.188 incêndios em vegetação, número esse que comparado ao mesmo período de 2019 teve um aumento de 66%. A estiagem que atingiu Santa Catarina no mês de abril e maio foi um dos fatores que contribuiu para este aumento, mas a ação humana, seja direta ou indiretamente, continua sendo o principal e com a aproximação do verão, acende-se um alerta.

“Estamos chegando em mais um verão, onde as condições naturais da estação, somadas a eventos climáticos resultam em um período crítico. Aliado a isso, erroneamente e contrariando a lei, as pessoas continuam com a velha prática de fazer a limpeza do terreno colocando fogo na vegetação e em lixo”, enfatizou o chefe da Seção de Instrução e Ensino, capitão BM Samuel Ambroso. “Além dos vários transtornos causados, como por exemplo em áreas urbanas atingindo principalmente crianças e idosos ou em rodovias atrapalhando a visibilidade, facilmente podem se alastrar e resultar em um incêndio de grandes proporções”, completou.

Para o subcomandante do 4º BBM, major BM Henrique Piovezam da Silveira, o trabalho humano dos bombeiros militares empregados nestas ocorrências é o que preocupa. “Os militares que atendem um incêndio em vegetação são os mesmos que vão para uma ocorrência de acidente de trânsito, incêndio em edificação e muitas vezes estão desgastados após horas de ocorrências que poderiam ter sido evitadas”, ressaltou.

Desde o início do mês, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina está no Mato Grosso do Sul com uma Força-Tarefa auxiliando nos incêndios florestais que atingem o Pantanal. Do Sul, viajaram quatro bombeiros militares especialistas em ocorrências desta natureza.