Coluna saúde e boa forma – 13/02/2020

24

Tecnologia inovadora no tratamento de escoliose

Impressão em 3D tem auxiliado os diagnósticos de saúde a partir da prototipagem com imagens fiéis às regiões do corpo analisada

Uma técnica que permite análises médicas mais realistas e detalhadas. A impressão em 3D tem auxiliado os diagnósticos de saúde a partir da prototipagem com imagens fiéis às regiões do corpo analisadas. A ferramenta foi utilizada, recentemente, no Hospital Unimed Chapecó em uma cirurgia inovadora na região. A paciente de 16 anos, a estudante Allana Christina Belleboni, foi submetida ao procedimento cirúrgico para a correção de uma escoliose na coluna vertebral grave, com uma dupla curva de alto grau (50 graus e 80 graus cada curvatura). Tecnicamente é considerada escoliose quando há curvaturas laterais que ultrapassam 10 graus.

O procedimento foi conduzido pelos médicos cirurgiões de coluna, Dr. Eduardo Teston Bondan, Dr. Marcos André Sonagli e Dr. Thiago Setti. A cirurgia, considerada de grande porte, ainda contou com o acompanhamento do médico neurofisiologista de Florianópolis, Dr. Rinaldo Claudino, que realizou o controle neurológico durante a cirurgia para garantir maior segurança do procedimento que envolve a implantação de parafusos próximo a medula espinhal.

“Esse caso precisava passar por cirurgia, pois se tratava de dupla curva grave com deformidade progressiva, que aumentava conforme o crescimento da paciente. A técnica da impressão em 3D permite um planejamento pré-operatório mais fidedigno, gerando mais segurança durante a cirurgia. A reabilitação física iniciou de forma rápida, pois já no segundo dia pós-operatório a paciente conseguiu caminhar com pouca dor”, afirma Dr. Bondan.

O médico destaca que o processo de recuperação envolve sessões de fisioterapia e que, em torno de um mês e meio, os tecidos superficiais já estão cicatrizados, o que possibilita que a paciente já realize parte dos movimentos normais do corpo.

A equipe médica salienta que, na maioria dos casos, a principal dúvida de pacientes e familiares é se a pessoa não perderá o movimento da coluna devido a implantação de tantos parafusos, – 26 no total foram aplicados à coluna de Allana. Dr. Sonagli explica que as vértebras que não recebem os parafusos mantêm os movimentos normais e juntamente com o quadril atuam para que a mobilidade seja parcialmente compensada.

Futuro

Na última quinta-feira (6), Allana teve alta do hospital e recebeu dos médicos o protótipo (molde em 3D) da coluna produzido antes da cirurgia. Sorridente e aliviada com o resultado, a jovem já faz planos para os próximos anos. “Achei que ia sentir muita dor após a cirurgia. Só tenho a agradecer a toda a equipe pela melhora na minha qualidade de vida”, destaca.

A estudante afirma que a experiência obtida no período em que esteve no hospital a inspirou a fazer planos de seguir uma carreira na área da saúde. “Quero ter uma profissão que mude a vida das pessoas, assim como eles mudaram a minha”, enfatiza ao se referir à equipe de médicos e enfermeiros que realizaram o tratamento.