Moisés se complica com votação de afastamento do segundo impeachment

74

Até o fechamento desta edição, na sessão virtual, o governador do PSL perdia por 4 a 2

Da Redação

Até o fechamento desta edição, na sessão virtual da votação do impeachment do governador de SC no caso dos respiradores, o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) estava sendo afastado temporariamente do cargo. Ao final dos seis primeiros votos, às 19h15min, o placar parcial de 4 votos a 2 pelo prosseguimento do processo de impeachment.

A desembargadora e relatora Rosane Portella Wolff foi a primeira a votar no tribunal de julgamento, que começou às 9h04 de sexta-feira (26). Após quase duas horas de fala, Rosane votou por manter a abertura do processo de impeachment. A desembargadora Sônia Schmitz foi a segunda a votar e também decidiu pelo prosseguimento do processo de impedimento.

O deputado estadual Marcos Vieira (PSDB) falou na sequência e deu o primeiro voto a favor do governador, pedindo o arquivamento do caso. Ele foi seguido pelo desembargador Roberto Pacheco, que deu mais um voto a favor pela sequência da denúncia. O deputado José Milton Scheffer (PP) foi o quinto a votar e também se manifestou a favor do governador Moisés, pedindo a rejeição do processo, levando o placar parcial para 3 a 2.

O desembargador Luiz Zanelato, em um voto que durou duas horas, também aceitou a denúncia contra Moisés pela compra dos respiradores. Às 19h15min, o deputado estadual Valdir Cobalchini (MDB) começou a ler o voto.

Como funciona o tribunal

O tribunal de julgamento é composto por cinco deputados estaduais escolhidos pela Assembleia Legislativa (Alesc) e cinco desembargadores do TJSC, definidos por sorteio em outubro de 2020. A ordem de votação após a relatora segue o maior tempo de serviço dos membros do tribunal nos cargos de desembargador ou deputado estadual.

Como votaram até o fechamento desta edição

  • Desembargadora Rosane Portella Wolff (relatora) – votou favorável à abertura do processo de impeachment contra Moisés.
  • Desembargadora Sônia Schmitz – votou favorável à abertura do processo de impeachment contra Moisés
  • Deputado estadual Marcos Vieira (PSDB) – votou pelo arquivamento do pedido de impeachment contra Moisés
  • Desembargador Roberto Pacheco – votou favorável à abertura do processo de impeachment contra Moisés
  • Deputado estadual José Milton Scheffer (PP) – votou pelo arquivamento do pedido de impeachment contra Moisés
  • Desembargador Luiz Zanelato – votou favorável à abertura do processo de impeachment contra Moisés
  • Não haviam votado ainda
  • Deputado Valdir Cobalchini (MDB)
  • Deputado Fabiano da Luz (PT)
  • Desembargador Luiz Fornerolli
  • Deputado estadual Laércio Schuster (PSB)