Entidades definem pleitos aos candidatos a prefeito de Criciúma

16

Acic, CDL Criciúma e Forcri aprovaram documento com o que consideram ser mais importante hoje para a promoção do desenvolvimento da cidade

Criciúma

A Associação Empresarial de Criciúma (Acic), o Fórum das Entidades de Criciúma (Forcri) e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Criciúma, com o intuito de ampliar o diálogo envolvendo a gestão pública e a sociedade organizada, do ponto de vista da classe empresarial, levantaram prioridades que consideram serem primordiais para a promoção do desenvolvimento socioeconômico de Criciúma para os próximos anos.

Os pleitos elencados, a partir das demandas captadas e organizadas pelas entidades, serão entregues a todos os postulantes ao cargo de prefeito de Criciúma nas Eleições de 2020.

Os representantes das entidades aprovaram, em reunião virtual na noite de quarta-feira (30), o documento com as prioridades nas áreas de planejamento e investimentos, atração e manutenção de empresas, inovação, infraestrutura viária e mobilidade, gestão pública, tributação, saúde e educação.

“Este documento é um importante e relevante instrumento para a próxima administração pública municipal, levando em consideração as necessidades locais. Entregaremos a cada candidato à prefeitura do município com o compromisso, de que se eleito, ele concretize essas demandas tão importantes”, informou o presidente da Acic, Moacir Dagostin.

O presidente do Forcri, André Luiz Santiago de Castro, ressaltou a importância deste movimento das entidades junto aos candidatos. “A nossa ideia de compor esse movimento junto com a Acic e a CDL é oferecer subsídios aos candidatos à prefeitura de Criciúma com os anseios da classe empresarial e das entidades que representamos. As demandas sugeridas refletem o que almejamos para Criciúma no futuro”, expõe.

“A união das instituições em prol do desenvolvimento da cidade dá força na concretização das demandas, muitas delas, já latentes pela conclusão tanto pela classe empresarial como por toda a comunidade”, acrescenta a presidente da CDL de Criciúma, Andrea Gazola Salvalágio.

Monitoramento dos pleitos

De acordo com o presidente da Acic, as entidades farão o acompanhamento e o monitoramento dos pleitos, junto ao futuro chefe do Poder Executivo de Criciúma, com o intuito do cumprimento das demandas. “Também entendemos que o prefeito deve exercer uma liderança regional, unindo os municípios da região carbonífera, em uma pauta de projetos e ações de forma integrada em diversas áreas do desenvolvimento para que possamos acelerar o crescimento”, conclui.

As entidades realizarão a entrega do documento com os pleitos da classe empresarial a partir de terça-feira (6) e, por isso, não encaminharam a lista de prioridades para a imprensa.