Novo coronavírus é pandemia global, diz OMS

17

Termo remete a emergência de saúde mundial causada pelo Covid-19. O que isso significa?

Da Redação

Na quarta-feira (11), a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a epidemia do novo coronavírus como uma pandemia. Esta é a primeira vez que a entidade usa este termo para classificar uma emergência de saúde causada por um coronavírus.

Pandemia é a situação de saúde pública na qual uma doença se propaga pelo mundo de forma rápida e simultânea. Exatamente o que vem acontecendo: enquanto novos casos são confirmados em um país da Europa, tantos outros aparecem no Brasil, nos Estados Unidos, na Austrália. A pandemia mais recente foi em 2009, quando a gripe suína infectou milhões de pessoas.

Com a declaração de pandemia, o que muda no combate ao novo coronavírus? Quase nada. Só deixa as pessoas mais alertas para evitar o contágio. As recomendações já dadas aos países pela OMS permanecem e não há a expectativa de que novas orientações sejam emitidas. O momento é de agir não apenas para evitar a doença, mas também implementar estratégias de contenção e se preparar para cuidar dos infectados.

A principal recomendação da OMS para todos os países é: “Detectar, testar, tratar, isolar e mobilizar as pessoas”. Segundo o diretor-executivo do programa de emergências da OMS, Michael Ryan, “a declaração de uma pandemia não é como a de uma emergência internacional – é uma caracterização de uma situação, não é uma mudança”.

O termo pandemia então serve mais para destacar a importância da cooperação de ações entre as pessoas, os órgãos de saúde de municípios, estados e países para a não infecção, o combate e a descoberta de vacina.

O novo coronavírus, identificado como Covid-19, já ultrapassou a marca de 120 mil pessoas infectadas e casos já foram registrados em 118 países do mundo (a ONU é composta por 193 países).

O caso de Braço do Norte

Um caso suspeitíssimo de coronavírus foi informado ontem em Braço do Norte. O homem de 66 anos, que retornou da Nova Zelândia, está em isolamento domiciliar. Ele procurou o Hospital Santa Teresinha na terça-feira (10) com sintomas gripais. Ele permaneceu por três meses no exterior e retornou há 12 dias e está sendo tratado como caso suspeito de coronavírus. De acordo com o diretor técnico do HST, José Nazareno Goulart Júnior, o paciente aguarda os resultados dos exames. “É importante salientar que o paciente retornou de um país onde não ocorre a pandemia e se não fosse pela única questão dele ter vindo do exterior, não seria tratado como caso suspeito”, explica.

Assim que chegou no HST, o homem ficou em isolamento respiratório e foi atendido pelo médico de plantão, que solicitou exames primários que não apresentaram alterações. Por conta da viagem, foram solicitados também exames de sangue para diagnóstico do Covid-19 e influenza, encaminhados ao Laboratório Central do Estado de Santa Catarina (Lacen), que em até 72 horas encaminhará o resultado ao Hospital Santa Terezinha. O hospital ficou de emitir um novo comunicado assim que sair o resultado.