Composição do Legislativo está em processo de alteração

31

Período de janela partidária movimenta os vereadores em busca de novos partidos para as eleições 2020

Içara

A sete meses da realização do primeiro turno das eleições municipais, com data prevista para 4 de outubro, o período da chamada janela partidária se mantém aberto e já ocasiona mudanças na composição da Câmara de Vereadores. Apesar de o intervalo de tempo reservado para as alterações de partido ter iniciado há pouco tempo, uma semana apenas, procuramos os atuais mandatários içarenses no legislativo para ver se confirmam permanência ou estão de saída dos atuais partidos.

Alex Michels (PSD) e André Mazzuchello Jucoski (PSDB) são dois dos nomes que se mantêm no partido e se colocam como pré-candidatos a prefeito. Dia 20 de março está marcado para a escolha do candidato oficial pelo PSD. Já no caso de Jucoski, além da pré-candidatura, ele também está realizando a nominata para o cargo de vereador.

No MDB, a quantidade dos que permanecem no partido prevalece. Laudelino Calegari, Flávio Felisberto, Rodrigues Mendes, o Sapinho, e Higor Robetti não saem da sigla. Pedro Mazzuchetti não respondeu à reportagem do Jornal Gazeta. Marcio Toretti disse que o momento está muito confuso. “Prefiro aguardar”.

Dois deixam o MDB. Ainda no segundo dia de janela partidária, Israel Rabelo confirmou seu desligamento do partido, apesar de não informar em qual se afiliará. Segundo ele, está em busca de um espaço onde possa exercer seus projetos políticos. “Tenho buscado, de todas as formas, honrar as convicções que me levaram a ocupar a cadeira de vereador. E, durante o curso do meu mandato independente, esta posição acabou tornando-se incômoda para algumas lideranças do meu partido”, explica Rabelo sobre a saída.

O vereador Antônio de Mello também não possui mais ligação com o MDB. Hoje ocorre em Araranguá a sua filiação e a de mais 9 vereadores ao PL, com a presença de Jorginho Mello, presidente estadual do partido. “Quero desenvolver uma nova política. Saio do MDB pois busco mais espaço para realizar as mudanças as quais acredito”, informou o atual vereador, que se lança agora como pré-candidato a prefeito.

Não responderam também a reportagem Lauro José (PT) e Edna Benedet (PCdoB). Itamar da Silva (PP) e Eduardo Zata (PP) permanecem no partido, e Silvia Mendes, a Marreca (PP), disse que nada está definido ainda e que ela terá uma resposta depois do dia 22.

A janela partidária

Iniciado em 5 de março, o período de janela partidária se estenderá até o dia 3 de abril, seis meses antes das eleições, prazo declarado no Art. 9º da Lei nº 13.165/2015, da Reforma Eleitoral. Esse período de 30 dias é a oportunidade de os parlamentares fazerem a transição de partido sem correrem o risco de perder seus mandatos, já que, de acordo com o Art. 22-A da Lei dos Partidos Políticos (Lei nº 9.096), para o desligamento de um partido ser feito, o candidato deve apresentar uma justa causa, ou tem seu mandato perdido.