Brasileiros avançam para a segunda fase do 50º Banana Bowl

7

Categoria 18 anos do mais tradicional torneio do tênis infanto-juvenil da América Latina está sendo realizada no Mampituba

O Brasil garantiu presença na segunda rodada da principal categoria do Banana Bowl com atletas no masculino e no feminino. Com o fechamento da primeira rodada da categoria 18 anos na terça-feira (12), tenistas do país confirmaram as vitórias nas quadras da Sociedade Recreativa Mampituba, em Criciúma, 10 no masculino e duas no feminino.

Cabeça de chave número 1 do torneio, o baiano Natan Rodrigues (foto) venceu o sérvio Stefan Popovic por 2 sets a 0: 6/3 e 6/1. O próximo oponente do brasileiro, que tenta chegar às oitavas de final, é o norte-americano Victor Lilov.

“Fiz um jogo muito bom, conseguir jogar melhor do que na semana passada no Brasil Juniors Cup. Venho de um início de ano bom e comecei muito bem aqui no jogo contra o Sérvio. Foi um bom passo para ganhar confiança para avançar no torneio”, afirma Natan.

Também cabeças de chave, Bruno Oliveira (7) e Gustavo Heide (8) avançaram. Oliveira estreou com vitória sobre o compatriota Pedro Franca por duplo 6/4 e na próxima fase enfrenta o brasileiro Nicolas Zanellato. Heide, que na última semana chegou à semifinal do Brasil Juniors Cup, manteve o embalo ao superar o japonês Kenta Miyoshi por duplo 6/1. Enfrenta agora o chinês Juncheng Shang.

João Loureiro (vitória sobre o argentino Matias Iturbe por 6/3 e 6/2), Rodrigo Braunstein (vitória sobre o paraguaio Lucas Risso por 7/5 e 6/3), João Schiessl (vitória sobre o paraguaio Agustin Lorberg por 6/3 e 6/4), Nicolas Zanellato (vitória sobre o boliviano Juan Carlos Prado por 6/1 e 6/3), Breno Marques (vitória sobre o brasileiro Pedro Sasso por 6/0 e 6/2), Matheus Costa Paiva (vitória sobre o brasileiro Luis Fernando Reis por 7/5, 4/6 e 6/1) e Gabriel Generoso (vitória sobre o brasileiro Marcon Antonio Sommer por 6/2 e 6/3) também avançaram no Banana Bowl.

Na categoria feminina, a catarinense Priscila Janikian e a carioca Isabela Mercante se classificaram para a segunda rodada. Janikian venceu a norte-americana Hina Inoue por 6/4 e 7/5 e vai enfrentar a italiana Beatrice Ricci (cabeça de chave 9) na próxima fase. Mercante, que ganhou da australiana Roopa Bains por 6/2, 6/7(6) e 6/1, pega a uruguaia Guillermina Grant (cabeça de chave 5).

“Fiz um jogo muito bom. Apesar de entrar um pouco nervosa, estava confiante. Ela começou batendo muito bem, mas dei o meu máximo e girei bastante a bola para dominar o ponto e o jogo. Agora, vou enfrentar a italiana e seguirei dando o meu máximo, lutando até o fim”, destaca Janikian.

Além da categoria 18 anos, o Banana Bowl tem a disputa das categorias 16 e 14 anos (valendo pontos para o ranking da Cosat), no Rio de Janeiro, onde as competições acontecem no Marina Barra Clube e no Novo Rio Country Clube. Também no RJ é disputada a categoria 12 anos, que vale pontos para o ranking nacional da CBT. Ao todos, participam da competição atletas de 32 diferentes países.

Abertura oficial

A abertura do Banana Bowl aconteceu na noite de segunda-feira (10), na Quadra 1, e contou com a presença de membros da diretoria do Clube, da Confederação Brasileira de Tênis (CBT) e da Federação Catarinense de Tênis (FCT).

Alexandre Farias, presidente da Federação Catarinense de Tênis (FCT), contou que trazer o Banana Bowl por quatros anos para Criciúma foi a realização de um sonho. “A 47ª foi a mola propulsora para realizarmos a 48ª, 49ª e a 50ª edição. Esse evento significa muito no cenário mundial. De 650 torneios infanto-juvenis do mundo, nós podemos nos orgulhar em falar que o Banana Bowl está entre os nove maiores”, comemorou.

Segundo o presidente da Confederação Brasileira de Tênis, Rafael Westrupp, em suas 50 edições, o Banana Bowl já contou com a presença de praticamente todos os 200 países filiados à Federação Internacional de Tênis (ITF – International Tennis Federation). “O Banana Bowl tem como característica revelar campeões. As pessoas que passam por aqui constroem sua história pautada no que o tênis oferece de melhor: lidar com derrotas, vitórias e aprender com elas”, explicou. Além disso, o Banana Bowl foi elevado ao patamar máximo de pontuação da Federação Internacional de Tênis, equiparado aos quatro Grand Slams juvenis.

O presidente da Sociedade Recreativa Mampituba, Edézio Carminatti, agradeceu a oportunidade de receber o Banana Bowl nas quadras do clube. “Como aconteceu nos anos anteriores, tivemos a grata satisfação de poder sediar este evento. Somos muito gratos a Federação Catarinense de Tênis, a Confederação Brasileira de Tênis e a ITF por confiar no trabalho desenvolvido pelo Mampituba. Esperamos que esta edição de número 50 seja um grande sucesso”, finalizou.

Recorde de participantes

Aos 50 anos, o torneio juvenil de tênis mais tradicional da América Latina bateu recorde de países participantes: serão 400 atletas de um total de 48 países do mundo. O evento segue até domingo (16).

Os atletas disputam as categorias 18 anos e Tennis Kids (de 8 a 11 anos). Já nos clubes Marina Barra Clube e Novo Rio Country Clube, do Rio de Janeiro (RJ), acontecem os jogos das categorias 12, 14 e 16 anos.

Estima-se que, entre atletas, pais e técnicos, aproximadamente 1,5 mil pessoas devam estar em Criciúma só pelo evento, movimentando hotéis, restaurantes e comércio em geral.