Criciúma contrata zagueiro Gum

28

Jogador foi ídolo no Fluminense e no ano passado vestiu a camisa da Chapecoense

O Criciúma anunciou na sexta-feira (7) outro reforço para esta temporada. Muito conhecido no futebol brasileiro, o zagueiro Gum, de 34 anos, foi contratado. Ele defendeu a Chapecoense no ano passado e teve muito destaque no Fluminense. Obviamente, por próximo que está, o jogador que nem na cidade está ainda, não joga neste domingo contra o Avaí, na Ressacada, pela sexta rodada do Catarinense.

Gum vem para reforçar a defesa, que está sendo muito questionada neste início de temporada pelo jogos do Campeonato Catarinense. O jogador é aguardado na cidade para a realização de exames físicos e médicos para, em caso de aprovação, assinar contrato. Natural de São Paulo, Gum também defendeu Internacional, Marília, Ponte Preta, e ficou por 10 temporadas no Fluminense.

“Vamos atrás de mais reforços”, resume o superintendente do clube, Serginho Lopes. O técnico Roberto Cavalo já tinha falado em coletiva a necessidade de mais sete reforços. Enquanto as contratações não aparecerem, o grupo se reapresentou na sexta-feira e treina ainda neste sábado para a partida contra o Avaí.

Tigre não pensa em demitir Cavalo

O superintendente de futebol do Tigre, Serginho Lopes, dividiu a responsabilidade pela eliminação precoce do Criciúma na Copa do Brasil, com a derrota por 4 a 1 para o Santo André, com o treinador Roberto Cavalo. Ele também bancou a permanência do treinador Roberto Cavalo apesar da campanha ruim na temporada.

“A responsabilidade começa por mim, junto com o Evandro, inclusive por alguns jogadores contratados não estarem rendendo. Temos que levantar a cabeça, se preocupar com a sequência na competição”, disse Serginho. E emendou: “O Cavalo é o nosso treinador. Quais jogadores que tão rendendo pra que o Cavalo tenha resultados positivos? Temos que ter tranquilidade, conversar com o presidente e diretoria. A minha concepção é que o Cavalo continue”.

Serginho admitiu que o Tigre precisa de muitos reforços para melhorar o panorama. “Precisamos de mais uns seis, sete jogadores. Mas não vamos conseguir essa quantidade de jogadores agora, vamos buscar as oportunidades que aparecem no mercado”.

O Tigre está em sétimo lugar com cinco pontos no Catarinense.