DIC de Criciúma apresenta balanço dos homicídios e latrocínios

26

Dados divulgados ontem pela Delegacia de Investigação Criminal correspondem aos últimos cinco anos

A DIC de Criciúma apresentou ontem um balanço das investigações dos crimes com mortes realizados nos últimos cinco anos na cidade. Segundo o balanço, o número de homicídios e latrocínios vem caindo nos últimos anos.

Segundo o relatório, no ano de 2015 foram praticados 56 homicídios em Criciúma, sendo 44 deles esclarecidos, representando 78% de resolubilidade dos homicídios daquele ano. Ainda no ano de 2015 ocorreu um latrocínio, que foi esclarecido, e duas mortes decorrentes de confronto com as polícias Civil e Militar.

No ano de 2016 ocorreram 32 homicídios, sendo esclarecidos 27 casos, resultando em 84% de resolubilidade. Naquele ano ainda ocorreram cinco latrocínios, sendo quatro deles esclarecidos, correspondendo a 80% de elucidação.

No ano de 2017 foram praticados 17 homicídios na cidade, dos quais 13 foram esclarecidos, resultando em 77% de resolubilidade. Ainda em 2017, ocorreu um latrocínio, que foi elucidado, e a morte de uma pessoa em decorrência de confronto com a Polícia Militar.

Em 2018 foram praticados em Criciúma 20 homicídios, todos esclarecidos, resultando em 100% de resolubilidade. Ainda no ano passado, ocorreu um latrocínio, cujos autores foram identificados e presos, duas mortes decorrentes de confronto com a Polícia Militar, além de uma lesão corporal seguida de morte que não foi esclarecida.

Já neste ano, até ontem, foram praticados 20 homicídios em Criciúma, dos quais 16 já foram esclarecidos, resultando até agora em 80% de resolubilidade. Dos 16 homicídios elucidados, 11 foram praticados por imputáveis, sendo todos os autores presos preventivamente ou destinatários de medidas cautelares diversas da prisão, enquanto os outros cinco foram praticados por adolescentes.

Ainda com relação a este ano, segundo o relatório, foram praticados na cidade dois latrocínios, cujos cinco autores foram identificados e presos, além de uma morte por confronto com a Polícia Militar e uma morte decorrente de lesão corporal seguida de morte, cuja autoria ainda não foi esclarecida.

Segundo o delegado André Milanese, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, pelo terceiro ano consecutivo a cidade de Criciúma atinge índice médio de 10 homicídios/latrocínios por 100.000 habitantes, considerável aceitável pela OMS – Organização Mundial da Saúde.

“O êxito na redução dos homicídios e latrocínios na cidade e o alto índice de resolução se deve ao trabalho investigativo realizado pela Polícia Civil de Criciúma, o trabalho ostensivo realizado pela Polícia Militar, as perícias técnicas realizadas pelo IGP e pelo incondicional apoio do Ministério Público e do Poder Judiciário local”, informa o relatório assinado pelos delegados André Milanese e Yuri Miqueluzzi.