Plano Diretor será votado até fim do ano

29

Documento está em fase de análise na Câmara de Vereadores e passará por ajustes

A Câmara de Vereadores de Içara quer aprovar o novo plano diretor até o fim do ano. O documento foi encaminhado para o Legislativo e está em análise. “Vamos aprovar o plano até a realização da última sessão”, garante o presidente da Câmara, Rodrigues Mendes, o Sapinho. Para que a aprovação se concretize, foi criada uma comissão especial, que se reúne semanalmente somente para analisar o documento. “Se precisar aumentaremos o número dos encontros para terminar as análises e enviar ao plenário para votação”, explicou o vereador Antônio de Melo, presidente da Comissão.

O secretário de Planejamento de Içara, Arnaldo Lodetti, explica que a revisão que está sendo feita no plano contempla algumas modificações para acompanhar o crescimento do município. Segundo ele, as áreas industriais foram priorizadas pelo número de empresas que procuram o município para se instalarem. Ele explica que foi priorizada as margens das rodovias para criação de espaços para áreas industriais.

O secretário também explica que o município criou na localidade de Segunda Linha uma área de interesse ambiental de 500 hectares, onde está o horto municipal. Segundo ele, a criação do espaço é para evitar que sejam criados loteamentos por toda parte e que o município não tenha um local para absorção da água. “Vamos criar extravasores para canalizar a água da chuva evitando que ela venha em grande volume e alague a parte mais baixa da cidade”, pontua o secretário.

Segundo o secretário, a política do conceito do novo plano diretor tem três vetores: ecológico, mobilidade e economia. Com estes conceitos foram propostos no projeto original o número de pavimentos permitidos para a construção civil, os zoneamentos e a concentração da população mais próximo do Centro. “Concentrando a cidade, teremos mais eficiência na prestação dos serviços”, destaca Lodetti.

O vereador Antônio de Melo, que preside a Comissão Especial, criada para analisar o documento, relata que o Plano Diretor está passando por várias alterações em relação ao original encaminhado pelo Executivo. Ele apontou alguns pontos polêmicos que estão sendo corrigidos, com a Área de Preservação Ambiental na localidade de Ponta do Mato, que foi alterada para zona agrícola.

O vereador também especifica que a área industrial do bairro Demboski será preservada, mesmo com a Administração Municipal remetendo projeto para que fosse alterada para zona residencial. “Precisamos preservar aquele local, pois já existe empresas, que precisam ser preservadas para evitar conflitos futuros”, pontua. Segundo ele, o projeto encaminhado para alteração de zoneamento foi tirado de tramitação e vai esperar a aprovação do Plano Diretor.

Sobre o número de pavimento, o vereador também aponta que haverá alterações, quanto as áreas onde será permitido a construção das edificações. “No Plano prevê que a região próxima do Paço Municipal poderá ser construída somente dois pavimentos e o local pode ser melhor explorado”.  O vereador esclarece que antes de ser encaminhada para votação será realizada uma última audiência pública para conhecimento da população.