Rogerinho volta a competir após acidente

8

Piloto criciumense disputará as últimas etapas do Campeonato Brasileiro de SuperBike

O Piloto criciumense Rogério Gentil Fernandes, o Rogerinho, voltou a competir pelo Campeonato Brasileiro de SuperBike na categoria Máster. No próximo dia 20 ele compete pela 7ª etapa da competição em Goiânia. Para a temporada de 2020, Rogerinho pretende fazer toda a temporada e disputar o Campeonato Brasileiro e o Sul-Americano. O criciumense já tem dois títulos brasileiros e tentará a terceira conquista da carreira.

O piloto começou a temporada de 2009 com equipe nova e projetando realizar uma excelente competição, em função da qualidade do equipamento e da equipe estar entre as três melhores do pais. No fim de semana da realização da primeira etapa no autódromo de Interlagos, em São Paulo, o equipamento apresentou problema na sessão de treino no sábado, principalmente na escolha dos pneus. Com a escolha da troca de pneus, Rogério conseguiu fazer um bom treino de classificação, conseguindo o segundo tempo na categoria e 18º na classificação geral, entre 41 competidores.

No domingo, quando alinhou a mota para a largada, a máquina acusou problemas eletrônicos e apagou, fazendo com que o piloto retornasse para os boxes na tentativa de consertar o problema, e conseguiu fazer com que o equipamento conseguisse ficar bom para a corrida, mas teve que largar dos boxes. Na terceira volta, quando estava alcançando os primeiros colocados, na curva S do Senna, chegando no fim da reta oposta, no momento da frenagem, o piloto da frente caiu e na tentativa de evitar o contato perdeu o controle da moto e teve uma queda a 210 quilômetros por hora.

O acidente envolveu cinco motocicletas com todos os pilotos sofrendo fraturas. O criciumense foi que sofreu os traumas mais graves. Rogerinho quebrou sete constelas, a terceira vertebra da coluna cervical, o ligamento do ombro esquerdo, o cotovelo esquerdo e problemas no pulmão. “Foram seis meses de muito tratamento e fisioterapia para conseguir ficar bom”, relata.

Retorno

O retorno às pistas do piloto foi somente na 7ª etapa da competição no dia 22 de setembro, após seis meses de recuperação. Rogerinho venceu a categoria Máster e ficou em décimo na classificação geral. “Senti muitas dores no ombro, mas conseguiu levar a moto até o fim e vencer na minha categoria”, ressalta. A próxima prova será novamente em Goiânia, no dia 20 de outubro. Em 2020, o piloto pretende realizar todas as etapas se não houver nenhum imprevisto.