Atletas de Içara representam o Brasil nos Jogos Pan-Americanos

84

Karatê será disputado no dia 7 de agosto, na competição realizada em Lima, no Peru

As atletas de Içara, Sabrina Pereira, Carolaine Pereira e Izabel Cristine estão prontas para os Jogos Pan-Americanos, que ocorrem em Lima, no Peru. As competições começaram ontem, mas a disputa do karatê está marcada para o dia 7 de agosto.

O clima, porém, é de concentração. Elas embarcaram ontem para o Rio de Janeiro, onde ficarão em treinamento e preparação na Vila Olímpica. Atletas de todo o país e de diversas modalidades esportivas estarão reunidos neste local.

As atletas de Içara, que representarão a Seleção Brasileira de Karatê, ficam no Rio de Janeiro até o dia 4 de agosto. “Elas viajam no dia 4 para o Peru, ficam mais alguns dias lá, em um período de climatização, adaptação e de treinamento. Elas estão treinando muito e estão bem preparadas, com grandes chances de trazerem resultados positivos para o Brasil”, afirma o professor Everaldo Pereira, que coordena os projetos de karatê em Içara e é técnico do trio. Ele não viajou com a equipe porque precisou ficar em Içara para dar andamento nos projetos de karatê no município.

O trio irá representar o Brasil na categoria kata (luta simulada). “É a primeira vez que o Brasil tem um representante nessa categoria do kata. Até então o Brasil não tinha conseguido passar nas seletivas. Essa conquista vem de um projeto maduro, que iniciou há quatro anos a intensificação dos treinos na modalidade do kata. Graças a Deus, a gente está conseguindo representar o Brasil inteiro”, lembra Everaldo, do Team Everaldo/Esucri/FMCE/Librelato.

Segundo ele, a experiência que o trio irá adquirir nessa competição será fantástica. “Um crescimento muito grande para elas. Ainda no Rio de Janeiro elas já estarão interagindo com atletas de alto nível de todas as modalidades esportivas”, conta Everaldo.

Alegria

As içarenses já estão acostumadas a representarem o Brasil no exterior. No mês passado, por exemplo, Sabrina disputou a Liga Mundial no Canadá. Mas o clima de participar o Pan é diferente.

“Estamos muito felizes, pois estaremos reunidas com todos os brasileiros que irão disputar os jogos”, afirma Sabrina. É a primeira vez que ela disputará a competição, porque nos anos anteriores ela não tinha idade suficiente para participar.

A atleta de 21 anos conta que o treinamento foi intensificado para a competição. “Todos os dias estão sendo utilizados para treinamento, incluindo fins de semana”, revela Sabrina. “Estamos muito bem preparadas e acreditamos muito na conquista da medalha de ouro”, projeta.

A irmã de Sabrina, Carolaine Pereira também está confiante na conquista da medalha. “A gente se conhece muito. Treinamos juntas e isso favorece a gente. Porque a modalidade do kata por equipe a gente precisa ter movimentos e golpes muito parecidos, esse convívio que nós temos com anos de treinamento acaba fortalecendo a nossa equipe”, conta Carolaine.

Segundo ela, a união da equipe é o diferencial que pode contribuir para a conquista do título nos Jogos Pan-Americanos. “A gente está indo para o Team Brasil, no Rio de Janeiro e os treinamentos serão ainda mais intensivos. Estamos preparadas para derrotar as peruanas, que são nossas principais adversárias”, revela.

Izabel Cristine, que também faz parte da equipe kata da seleção brasileira conta que treina junto com a Sabrina há mais de 10 anos. “Essa competição é uma das maiores da América e estamos preparadas para disputarmos. A palavra é gratidão. Sou totalmente grata a todos que me apoiam e torcem por mim. Vou dar o meu melhor em nome de todos”, conclui Izabel.

Preparação de ponta

Para chegarem aos Jogos Pan-Americanos, as atletas precisaram passar por algumas etapas até integrarem a Seleção Brasileira. Após estarem na seleção, ocorreu a seletiva no Panamá, entre todas as seleções das Américas.

“A gente conseguiu essa vaga e o grande adversário será a equipe do Peru. Equipe muito forte, que fez um trabalho muito planejado: foram para a Áustria, Japão, China, Canadá e fizeram esse circuito mundial, preparando as atletas justamente para defender o título em casa”, indica o treinador.

Segundo ele, a República Dominicana também é uma equipe medalhista mundial por equipe e contam com uma equipe bastante madura.  “México, Canadá e Estados Unidos também são equipes tradicionais”, lembra Everaldo. Ele ressalta que a categoria kata por equipe não será realizada na Olimpíada de 2020. Desta forma, o kata nos Jogos Pan-Americanos será o topo da categoria.