Salvaro veta reajuste e valor da tarifa permanece o mesmo em Criciúma

8

Preço da tarifa continuará R$ 3,90 no Criciúma Card, se tornando uma das mais baratas de Santa Catarina

Na manhã dessa segunda-feira, o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, em reunião com os representantes das empresas que administram o sistema de transporte coletivo municipal, realizou a assinatura do decreto n° 915/19, que veta o reajuste do valor da tarifa de ônibus pelo segundo ano consecutivo em Criciúma.

O anúncio ocorreu na Sala de Atos, no Paço Municipal Marcos Rovaris. A tarifa continuará custando R$ 4,25 no dinheiro e R$ 3,90 no Criciúma Card, se tornando uma das mais baratas de Santa Catarina.

“Para manter o sistema de transporte coletivo do município vivo e competitivo vale o esforço de todos. Em Joinville, o usuário paga R$ 4,40. Em Blumenau, a passagem custa R$ 4,20. Já em Criciúma, no Criciúma Card, continuará custando R$ 3,90″, comenta Salvaro.

“Não aumentamos a tarifa por conta de medidas de racionalização que utilizamos e que proporcionou bons resultados, como o congelamento do valor da tarifa e o aumento no número de usuários por mês, que passou de 900 mil para mais de 1 milhão”, complementa.

Mais de 1 milhão de passageiros

Segundo dados da Associação Criciumense de Transporte Urbano (ACTU) e da Diretoria de Trânsito e Transporte (DTT) de Criciúma, o sistema de transporte coletivo municipal conta com 56 linhas ativas, uma frota de 119 veículos e uma média mensal de 1.050.000 passageiros. Aproximadamente 24% das passagens são pagas na hora e 76% são recargas feitas nos cartões nas modalidades de vale-transporte, escolar, professor e cartão cidadão.

Medidas de racionalização geram bons resultados

Para o presidente da Comissão de Racionalização e secretário municipal da Fazenda, Celito Cardoso, as medidas de racionalização utilizadas desde o decreto municipal n°1097/17 foram essenciais para que o valor da tarifa continue o mesmo em Criciúma. “A implantação da biometria facial nos ônibus, o aplicativo Moovit e a Central de Controle Operacional, além de outras medidas, possibilitaram que a tarifa continuasse a mesma”, ressalta.