Solidariedade para combater o frio

24

Campanha “O frio dói, doe calor” continua pelo menos até o fim de julho. Próxima entrega de agasalhos ocorrerá em Criciúma, no bairro Tereza Cristina

As temperaturas caíram intensamente nos últimos dias e as famílias em situação de vulnerabilidade social são as que mais sofrem com o frio. Mas a solidariedade da região alivia um pouco as dificuldades.

Neste sábado, a equipe multi-institucional, que é formada por órgãos públicos e demais entidades da região, irão realizar a sexta etapa de entrega de agasalhos da campanha “O frio dói, doe calor”. A ação acontecerá às 14h, no Centro de Referência da Assistência Social (Cras), do bairro Tereza Cristina, em Criciúma.

Segundo dados divulgados pela equipe multi-institucional, em cinco etapas de entregas, foram distribuídas aproximadamente 45 mil peças de agasalhos, três mil calçados, 285 cobertores, além de roupas íntimas e roupas de cama que beneficiaram aproximadamente 2,5 mil famílias em vulnerabilidade social. Isso corresponde a aproximadamente 9 mil pessoas das localidades de Forquilhinha (bairros Ouro Negro/Nova York), Jaguaruna, Criciúma (bairros Renascer, Primavera, Vila Manaus, Cidades Mineira Velha/Nova e Santa Luzia) e São Joaquim.

No último fim de semana, a entrega de agasalhos ocorreu em São Joaquim, na Serra. Foram distribuídas aproximadamente 25 mil peças e 1,5 mil calçados, 80 cobertores, além kits de bebê e roupas de cama. A ação beneficiou aproximadamente 1,2 mil famílias.

“Realizamos a campanha a cada dois anos, para não coincidir com ano de eleições. Outro motivo é pela grande quantidade de agasalhos que as famílias recebem e evita desperdício e as roupas podem ser aproveitadas por mais de um ano”, conta Almir Fernandes, o coordenador da campanha.

Campanha pelo WhatsApp

Segundo ele, foi a primeira vez que a campanha foi organizada pelo WhatsApp. “Normalmente, a gente teria que viajar uma vez para lá, fazer levantamento, reuniões e viajar com os agasalhos em um segundo momento. Mas desta vez formamos um grupo e durante 10 dias fizemos os contatos e alguns representantes, lideranças assistenciais nos ajudaram a localizar as famílias e viabilizar transporte para que eles recebesse os agasalhos”, explica Almir.

De acordo com ele, em São Joaquim não há grandes campanhas de agasalho e a entrega dessas roupas foi feita no momento em que o frio se aproxima. “Recebemos a informação de que a neve está para chegar e essas famílias já estarão preparadas para essas temperaturas. Convido a todos a continuarem doando, principalmente roupas de crianças e cobertores. A nossa tendência é continuar a campanha aqui em Criciúma até o começo de agosto”, projeta Almir.

Conforme o coordenador da campanha, caso haja agasalhos suficientes até o fim da campanha, a equipe multi-institucional irá realizar uma nova entrega de agasalhos, desta vez em Bom Retiro e Urubici.