Coluna Economia em foco – 07/05/2019

12

Indústria

No último dia 03 de maio o IBGE divulgou os indicadores da produção industrial brasileira de março do corrente ano. Infelizmente a indústria, de forma generalizada, apresentou uma queda de 1,3% em relação a fevereiro com o ajuste sazonal da série. Das quatro grandes categorias econômicas apenas a indústria de bens de capital (0,4%) apresentou crescimento em relação ao mês anterior. As demais categorias, bens intermediários (-1,5%), bens de consumo durável (-1,3%) e bens de consumo semi e não durável (-1,1%), apresentaram queda no período. No primeiro trimestre de 2019 a queda foi de 2,2% quando comparado ao mesmo período de 2018. As indústrias de bens de capital (-4,3%), bens de consumo durável (-3,4%), bens intermediários (-2%) e bens de consumo semi e não duráveis (-1,4%) apresentaram queda. As duas primeiras grandes categorias econômicas com quedas superiores à média nacional.

Termômetro da Previdência

O termômetro da previdência, divulgado pelo Valor Econômico, aponta que são necessários mais 208 votos para que a proposta da reforma previdenciária seja aprovada sem alterações. Parece quase improvável que esse número seja alcançado sem que ocorram alterações na proposta. Dos 513 deputados 212 apoiam a reforma da previdência a maioria, 112 deputados, propondo pequenas alterações no texto.

Indefinidos

Há ainda 157 deputados que estão indefinidos, isso significa que a base aliada do governo precisará convencer mais de 60% desses votos para que a reforma seja aprovada. Cerca de 28% dos deputados já declararam que são contrários à proposta.  Em Santa Catarina apenas Pedro Uczai (PT) declarou seu voto contrário a reforma. Dos deputados ligados ao sul catarinense apenas Daniel Freitas (PSL) apoia integralmente a reforma, Giovania de Sá (PSDB) e Ricardo Guidi (PSD) apoiam, deforma parcial, a proposta do governo.

Venezuela

A crise econômica e política na Venezuela parece se agravar a cada dia. Essa instabilidade, por hora, parece estar longe do fim. O PIB per capta do país, segundo os dados do Fundo Monetário Internacional (FMI), caiu mais de 57% entre 2013 e 2018, quase metade da população vive em condições de pobreza e a inflação foi mais de um milhão em termos percentuais em 2018. A escassez de alimentos e remédios, a deterioração dos serviços básicos como água e luz levou o país a uma nova crise, essa de caráter humanitário.

Chavismo

A Venezuela é governada pelo chavismo a pelo menos 20 anos, desde 1999 até a morte de Hugo Chaves em 2013 e, a partir de então, por Nicolás Maduro.  Em maio de 2018, após a reeleição de Maduro, sob suspeitas de fraudes reconhecida pela comunidade internacional, a crise venezuelana se intensificou. Em janeiro de 2019, alguns dias depois da posse de Maduro, o líder da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, se declarou presidente. Atualmente mais de 50 países, incluindo o Brasil, reconhecem Guaidó como presidente legítimo. Por outro lado, China e Rússia mantém apoio a Maduro.

Agenda Econômica I – Brasil  

No Brasil, a agenda econômica nesta terça-feira prevê a divulgação da produção e registro de veículos, a expectativa de mercado aponta para uma retração nesses dois indicadores. Na quarta-feira o Comitê de política monetária (Copom) divulgará a nova taxa de juros (Selic) para a economia brasileira, a aposta dos economistas é que ela se mantenha em 6,5% ao ano. Ainda, na quinta-feira, está previsto a divulgação do nível de vendas do varejo, um importante indicador que mede o valor total das vendas ajustadas pela inflação. Essa métrica é importante pois indica o quanto os consumidores estão gastando. As projeções dos analistas de mercado apontam para um crescimento de 2,6% na série anual. Na sexta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga o Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) que tem como objetivo medir a variação de preços de bens e serviços que são consumidos habitualmente pelas famílias brasileiras. É um importante indicador pois impacta a taxa de juros, o mercado de bens e serviços, o mercado acionário, o mercado cambial e a balança comercial, por exemplo. A expectativa de mercado é que esse indicador, no acumulado do ano, seja de 4,43%.

Agenda Econômica II – Estados Unidos  

Nos Estados Unidos a agenda econômica prevê a divulgação do número de ofertas de emprego nos setores comercial, industrial e de serviços, esse indicador mostra as vagas que estão em aberto na economia norte americana. A expectativa de mercado aponta para uma oferta em torno de 7,2 milhões. Na quarta-feira, a Energy Information Administration (EIA) divulga o nível de estoque de Petróleo mantido pelas empresas, esse indicador tem um importante impacto nos indicadores inflacionários da economia. Os indicadores de preços ao produtor e ao consumidor serão divulgados na quinta-feira e sexta-feira respectivamente. O Producer Price Index (PPI) mostra o quanto os produtores pagam pelos insumos indicando também a tendência da inflação ao consumidor. Já o Consumer Price Index (CPI) mostra a evolução dos preços de bens e serviços, excluindo energia e alimentos, com foco no consumo das famílias. A expectativa de mercado é que esses indicadores tenham um aumento de 0,2% em relação ao mês anterior.

Thiago R. Fabris – Pró-Reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional – UNESC – Mestre em Economia e Finanças – UFSC – Doutorando em Economia – UNISINOS – Economista – Registro Corecon 3391