Levantamento se faz necessário para verificar se os consumidores com subsídios trabalham na agricultura

A luta dos agricultores para a permanência no campo é intensa. Nestes últimos anos, algumas medidas que favoreciam o setor foram cortadas pelo governo, mas a categoria não deixou de lutar e cobrou os seus direitos. Uma delas era o desconto na tarifa de energia elétrica que foi suspenso pelo presidente Michel Temer, mas que agora voltou novamente com a anulação do decreto número 9.642/2018.

Mas para beneficiar quem realmente tem a atividade rural, a Cooperaliança de Içara irá realizar um recadastramento. A decisão foi tomada após reunião do presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Içara Jair D´Estefani com a diretoria da cooperativa. Jair, que também é presidente do Conselho de Consumidor da Cooperaliança,, explicou que os produtores que trabalham na terra não serão afetados. “Direitos têm que ser comprovados”, pontua o presidente.

Para continuar com o direito do desconto na tarifa do produtor rural, o presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto 9.744, que foi publicado no Diário Oficial da União. Este decreto anula o assinado pelo Presidente Michel Temer, que retirava este direito do produtor Rural.

Estado

Em Santa Catarina, o ex-governador Eduardo Moreira assinou decreto que tiraria os subsídios dos insumos para o produtor rural. A Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais mobilizou os sindicatos e o atual governador irá rever a cobrança. Até o mês de abril, quando era para estar valendo o decreto de Moreira não foi realizada a cobrança dos agricultores.

Jair ainda ressalta que a luta dos agricultores tem surtido efeito. Segundo ele, a Reforma da Previdência previa a aposentadoria do trabalhador rural com 65 anos e das trabalhadoras com 60, mas nesta terça-feira a reforma foi aprovada na CCJ da Câmara dos Deputados e foi mantida as normas anteriores com o produtor rural se aposentando com 60 anos e a mulher com 55 anos. “Também foi tirado da reforma a obrigatoriedade do produtor rural ter que contribuir para a Previdência”, destacou o presidente.